Artigos

Tweet

Liderança Eficaz e Futuro Sustentável

por Eduardo Carmello

O que você está fazendo para construir uma Visão Positiva sobre o Futuro? Como está trans-formando Talentos em Valor agregado ao cliente?

Construir um futuro sustentável é tarefa da Liderança. Saber inspirar os Talentos da Organização, orientá-los a se mover em uma direção valorosa para elas mesmas, para os clientes e para a Organização não é uma tarefa fácil. Mas é preciso fazê-la. O Líder eficaz é aquele que faz o que precisa ser feito para criar valor para os diversos stakeholders da Empresa, conectando-se às circunstâncias da mudança e agarrando as oportunidades que ela apresenta.

Projete-se no Futuro!

Você já está aposentado, desfrutando a vida, construindo novos objetivos, apreciando a natureza, numa tarde de domingo, ensolarada.

De repente, sem mais nem menos, você é parado por uma pessoa, que lhe parece familiar, mas que não a reconhece imediatamente.

- Como vai você? diz a pessoa.
Você, meio desconcertado, responde:
- Eu vou bem, e você? (fazendo um esforço tremendo para lembrar-se dela)
- Talvez você não se lembre de mim. Eu fui seu subordinado na Empresa “X”. Olha, te encontrei aqui, e quero dizer foi você uma pessoa importantíssima na minha vida. Você foi um líder muito especial naquele momento porque você...

Pense: O que gostaria de ouvir sobre sua atuação como líder?

Construir um futuro sustentável é tarefa da Liderança. Saber inspirar os Talentos da Organização, orientá-los a se mover em uma direção valorosa para elas mesmas, para os clientes e para a Organização não é uma tarefa fácil.
Mas é preciso fazê-la.

O Líder eficaz é aquele que faz o que precisa ser feito para criar valor para os diversos stakeholders da Empresa, conectando-se às circunstâncias da mudança e agarrando as oportunidades que ela apresenta.

Portanto, o foco de qualquer líder na atualidade é o Futuro. Na medida em que ele faz uma previsão onde o futuro está e quais as oportunidades de crescimento, pode tomar atitudes específicas para que esse futuro aconteça.

Estar conectado com as mudanças, ter sensibilidade contextual, saber decifrar e se ajustar a condições mutantes, deve ser uma das competências mais importantes para que o lider crie o sucesso sustentável da organização e de seus talentos. Só é possível enfrentar o Futuro se os Talentos da organização estiverem conectados com os desafios do novo ambiente.

Procure se colocar no Futuro mais uma vez. Especificamente em 2018. O que você estará fazendo? Qual sua competência mais relevante? O que significará liderança em 2018?

Analisando tendências estratégicas, sabemos hoje que a maioria das empresas estão produzindo produtos estão muito iguais, com tecnologias iguais e lojas iguais. Se continuar assim, a competição de preços no mercado atingirá então o seu limite no futuro:
Tudo de graça!!!!

Antes de achar isso um absurdo, reflita um pouco. Quanto você paga para utilizar o Google? O Messenger? O Skype?

Não se atenha ao “de graça”. Não quer dizer que sua empresa oferecerá gratuitamente caminhões, computadores e comida. Mas procure focar no conceito que está por detrás dessa tendência? Uma vez que passamos de uma situação de muita demanda, para muita oferta, a base de negócios estará fincada na essência do conceito de valor.

Valor não está no que eu faço e sim em como os clientes percebem o que eu faço. Dessa forma, a maneira de se diferenciar, de se destacar, será a sua capacidade de fazer algo que os clientes estejam dispostos a doar seu dinheiro, que represente o valor da sua benfeitoria, da experiência que criou para o seu cliente.

Sua diferenciação estará no modo como se relaciona e cria experiências significativas para seus clientes.

Encare essa realidade. As pesquisas de Gerald Zaltman, que escreveu o livro “Afinal o que os clientes querem?” demonstram que, nos dias atuais, 80% dos novos produtos ou serviços fracassam, provavelmente porque não satisfazem as verdadeiras necessidades sensoriais e emocionais, assim como as expectativas das pessoas.

As empresas caem, os profissionais são demitidos, não por causa do mercado que está em baixa, mas porque o conhecimento da empresa e/ou do profissional já não é mais relevante para o cliente. O incansável Larry Bossidy grita aos quatro cantos da terra, para quem quiser - e puder ouvir - que “um líder que se preze, em lugar de deixar para amanhã o que pode fazer hoje, assegura-se de que todos e cada um dos membros de sua organização mergulhem diariamente, de cabeça, na Realidade.”

Aqui está uma versão da Realidade. Observe esta pesquisa da Harvard sobre desempenho estratégico, de outubro de 2005.

A pesquisa demonstra que 56% das organizações são enfermas, ou seja, têm uma dificuldade enorme de lidar com as mudanças atuais, pois mantém-se por demasiado tempo dissociados da realidade, com uma dificuldade enorme para engajar e conduzir os empregados da organização a responder de maneira eficaz às exigências do mercado.

Da mesma forma, 31% das organizações consideradas saudáveis são aquelas que conseguem se conectar com as mudanças, inspirando os profissionais a caminharem numa direção positiva, ajudando-os a ajustarem seus comportamentos para criarem valor, a partir do exemplo proativo e coerente de seus líderes.

Líderes precisam ser Resilientes

Peter Senge diz que “Liderança é a capacidade de uma comunidade humana dar forma a seu futuro e, principalmente, de levar adiante os processos significativos de mudança necessários para fazê-lo.” Peter Drucker afirma que “ Liderar é ampliar a visão, elevar o desempenho a uma padrão superior, desenvolver a personalidade além das limitações normais.” Para Johm Ham, “ O Verdadeiro trabalho de liderança é inspirar a organização a assumir a responsabilidade por criar um futuro melhor.”

Líderes eficazes, ou líderes resilientes são aqueles que gerenciam mudanças a uma velocidade tal que permite, efetivamente, dentro do prazo e orçamento previstos, que todas as pessoas na organização mantenham-se focados no caminho que leva à criação de valor ao cliente, pois este é o processo mais importante de uma empresa.

Os líderes precisam inspirar o coração e a mente dos profissionais para que estes possam utilizar todo o seu talento para a criação de tal valor. Os profissionais precisam sentir no líder sólidos valores e um forte senso de propósito.
E mais do que tudo, líderes precisam criar coerência estratégica, ou seja, construir congruência entre o seu discurso e sua prática, pois trabalhadores inteligentes prestam mais atenção às atitudes do que ao discurso do líder.

Preparação para o futuro

É fundamental que os líderes estejam preparados para lidar com este novo cenário, pois, segundo o Corporate Leadership Council - EUA, 75% das empresas em todo o mundo não confiam na sua capacidade de preenher posições estratégicas de liderança nos próximos cinco anos.

É preciso criar novas capacidades, modificando o comportamento de modo a refletir novos conhecimentos e novas percepções para, num ciclo contínuo, poder utilizá-los em novas situações de superação.

Líderes precisam entender como criar vantagem competitiva e, conforme dito por Jack Wellch, “só há duas fontes de vantagem competitiva – a capacidade de aprender mais sobre nossos clientes mais depressa que os concorrentes e a capacidade de transformar esse co-nhecimento em ação mais depressa que os concorrentes”.

Lideres precisam estar capacitados a, mais do que entregar resultados previsíveis, vencer paradigmas estabelecidos, vencer o “status quo” e levar a organização a um desempenho superior, inspirando e desenvolvendo pessoas.

Como está sua liderança?

Por favor, faça rapidamente uma análise sobre como sua liderança está trabalhando para construir o futuro sustentável de sua organização.

Pegue uma caneta e papel e responda honesta e verdadeiramente a estas três perguntas:

  1. O que sua Liderança precisa fazer (agora) e não está fazendo?
  2. O que sua Liderança não tem que fazer (agora) e está fazendo?
  3. Que tarefas, atividades-chave e competências a liderança precisa começar a fazer agora para construir um futuro sustentável para sua organização?

Fizemos uma pesquisa em 2006 com mais de 500 profissionais de diversos segmentos para saber como está se comportando sua liderança no que diz respeito à construção de um futuro sustentável para eles e para a Organização que trabalha.

Observe as respostas e veja se está condizente com a sua.

  1. O que sua Liderança precisa fazer (agora) e não está fazendo?
    - Orientar de maneira estratégica, definindo atividades de valor;
    - Assumir verdadeiramente o papel de gestão de Pessoas;
    - Definir claramente as atribuições das diversas lideranças, para obtenção de respostas claras para os problemas do cotidiano;
    - Comunicar de maneira clara e objetiva e serena;
    - Estar mais presente no surgimento de problemas;
    - Desenvolver a equipe;
    - Ouvir a equipe, estar mais perto, utilizar os Talentos;
    - Dar exemplos de clareza e respeito.
    - Dar feedback constante, focado no plano de desenvolvimento

  2. O que sua Liderança não tem que fazer (agora) e está fazendo?
    - Define metas sem conhecer o real comprometimento do grupo;
    - Deixa todos sem informação estratégica, fazendo mudanças sem comunicar empregados;
    - Trabalha com foco no curto prazo, sem idealizar o futuro;
    - Ignora e poda Talentos da Organização;
    - Faz trabalho operacional em vez de focar no estratégico;
    - Cobra de maneira exagerada sem oferecer informação coerente;
    - Centraliza tarefas e informação;
    - Faz um discurso e age de outra forma;
    - Fica “apagando fogo”, pois não têm estratégia definida;
    - Abusa de poder, por falta de competência.

  3. Que tarefas, atividades-chave e competências a liderança precisa começar a fa-zer agora para construir um futuro sustentável para sua organização?
    - Saber ler os sinais do mercado;
    - Demonstrar confiança e coerência estratégica;
    - Interagir mais com todos os setores da Organização, compartilhando informação e conheci-mento relevante;
    - Aprender a agregar valor;
    - Estimular e criar um ambiente receptivo à idéias, conhecimento, inovação;
    - Definir missão, objetivos, metas, indicadores e iniciativas de melhoria;
    - Ser um efetivo agente de mudanças;
    - Orientar e capacitar pessoas;
    - Ser um desbravador, abrir caminhos.

Como pode perceber, há muitas tarefas relevantes que os líderes precisam fazer e a maioria, quando se depara com essa complexidade, acaba se perdendo em desculpas como falta de tempo para planejar, falta de recursos, excesso de pressão.

É preciso mudar o modelo mental. É preciso repensar essa estratégia de trabalhar muito, se esforçar demasiadamente por algo que não temos a menor noção do impacto positivo para o cliente, para a estratégia.

Construir um futuro é se fazer perguntas realmente relevantes, que nos levam a um pa-tamar superior de complexidade:

- Qual será o maior desafio da liderança? Qual é sua missão? Seu principal foco? Seu principal fator crítico de sucesso? Sua meta mais importante? O que o torna diferente de outros?

O maior desafio da Liderança eficaz é ter coragem de continuar concentrado nos Desafios Relevantes e no que eles exigem em termos de resposta:

- Como fazer a empresa crescer?;
- Como conquistar e manter clientes?;
- Como maximizar o desempenho dos processos?;
- Como transformar Talentos em Valor: Inspirar uma causa e construir profissionais notáveis.

Yoshio Ishizaka, Vice-Presidente da Toyota, nos dá uma noção do que fazer em momen-tos de mudança:
“Aprendi, com base em minha experiência, que tudo é dominado pela mercado. Toda vez que nos deparamos com obstáculos ou dificuldades, sempre digo a mim mesmo:‘Ouça o mercado, ouça a voz do cliente’!”

Howard Schultz, CEO da Starbucks Coffee oferece uma visão notável sobre a maneira de se fazer negócios:
“ Temos a prova viva de que uma empresa pode funcionar com o coração, nutrir a alma e ainda assim render lucros. Mostra que uma empresa pode oferecer, a longo prazo, valor para seus acionistas sem sacrificar a crença central de que deve tratar seus funcionários com respeito e dignidade, tanto porque tem uma equipe de líderes que acreditam que isso é certo quanto porque essa é a melhor forma de se fazer negócios.

Liderança e a Gestão do Conhecimento

Líderes eficazes estão criando organizações inteligentes que utilizam seu conhecimento para criar vantagem competitiva sustentável.

O líder sabe que o sucesso de uma organização inteligente depende da construção e da rapi-dez de aplicação do conhecimento, impactando e criando desejo de compra no cliente.

O foco da liderança deve estar na criação de experiências e inovações funcionais, úteis e significativas. Funcionais no sentido de facilitar a vida dos clientes, úteis no sentido de servirem a um real propósito e significativas no sentido de terem impacto relevante para muita gente.

Dessa forma, liderar pode ser visto como a Arte de criar valor a partir dos ativos intangíveis de uma organização.

Quando o líder sabe o que realmente quer dizer e manifesta uma rota clara à luz dessa sabedoria, os relacionamentos e feedback melhoram, a ação fica mais eficaz e ajustada à estratégia e o desempenho sobe.

Sabemos que os líderes podem criar um extraordinário diferencial quando se preparam para gerir de maneira integrada três áreas de valor:

  1. Informar aos interessados qual é o território
    Criar uma comunicação envolvente onde demonstre os significados da mudança, sua visão positiva e os objetivos da organização, delineando as oportunidades e os desafios. Lembre-se que a comunicação é a expressão maior dos atos de um líder. Suas palavras e ações impactam e definem a qualidade de comprometimento de seus subordinados.
    Líderes trabalham com diferentes tipos de pessoas, portanto sua comunicação e relacionamento deve corresponder à estas diferenças.
    Marcus Buckingham afirma que o líder não deve jogar mais damas, e sim aprender a jogar xadrez. Na liderança tradicional, as pessoas são gerenciadascomo damas: todas iguais, com operações iguais, trabalhando da mesma forma. Na liderança moderna, você deve gerir pessoas como joga xadrez: Cada uma tem uma função, com formas de atuar completamente diferentes, se comunicando e se relacionando de maneira singular.

  2. Construir Relacionamentos
    Pesquisa da Hay Group, apresentada pelo Sr Luiz Giorgi – Diretor da Hay do Brasil, demonstra que o clima organizacional tem um impacto de até 30% no resultado das empresas; o estilo de liderança impacta em até 70% no resultado do clima; e as competências emocio-nais contribuem em até 90% para a performance dos líderes de sucesso.
    Desenvolver relacionamentos eficazes e facilitar as interações frequentemente resultam em um ótimo desempenho da equipe.
    Você pode começar a construir um relacionamento eficaz reconhecendo e incentivando ações de sucesso entre sua equipe; Orientar tarefas a partir da referência e da competência de seus subordinados; Observe os ânimos, procure saber o que está acontecendo no campo emocional, criando um clima favorável à comunicação aberta e honesta, compartilhando idéias e sentimentos, buscando conhecer suas motivações, medos e interesses pessoais.

  3. Estabelecer Resultados e Competências.
    Uma vez que determinou resultados concretos alcançáveis, o passo seguinte é avaliar as capacidades e necessidades de seu pessoal. Defina as competências necessárias para o alcance dos objetivos estratégicos, crie planos individuais de desenvolvimento com objetivos, metas, indicadores, planos de ação e iniciativas de melhoria. Não encaminhe seus empregados para um seminário de “times de alta performance” sem ter uma noção muito clara dos exatos gap’s que sua equipe tem. Procure saber se o que lhes falta é conhecimento, habilidades ou atitudes.
    Faça uma profunda análise e reflexão de como o seu comportamento e atitude está contribuido para os gap’s de competência de sua equipe. Por vezes, gaps surgem porque você não está descrevendo clara o objetivamente os objetivos a serem alcançados, os principais procedimentos e comportamentos para tal.

Precisamos de líderes inspiradores

Liderar não é uma tarefa fácil, principalmente em momentos de profunda transição, on-de estamos buscando incessantemente Respeito, Amor, Diversidade e, principalmente o direito de poder ser quem realmente somos.

Precisamos de líderes inspiradores e revolucionários, que se fixam em duas principais dimensões do desenvolvimento sustentável:
A ideologia essencial (valores essenciais, a razão de nossa existência, o que aspiramos ser) e o futuro imaginário (melhor, mais digno, respeitável, onde todos participam e contribuem com seus Talentos e inovações).
Peter Drucker inspirou grandes líderes. Dizia ele que “a revolução requer revolucionários. Se o seu trabalho não é sonhar, criar, explorar, inventar, imaginar... você é irrelevante, e muito provavelmente sua empresa também.”

Líderes são vistos como pessoas notáveis quando:

  • Têm um firme propósito e uma direção clara
  • Têm um plano de ação;
  • Sabem exatamente quais competências são necessárias para a realização;
  • São uma fonte de inovação e de geração de valor para a empresa e para os Talentos;
  • Distribuem feedback regularmente;
  • Estimulam outros a buscar desafios relevantes;
  • Mantém sua equipe informada sobre o que acontece na empresa.

O Futuro bom será!

Você no futuro, desfrutando a vida, construindo novos objetivos, apreciando a natureza, numa tarde de domingo, ensolarada.

De repente, sem mais nem menos, você é parado por uma pessoa, que lhe parece familiar, mas que não a reconhece imediatamente.
- Como vai você? diz a pessoa.
Você, meio desconcertado, responde:
- Eu vou bem, e você? (fazendo um esforço tremendo para lembrar-se da pessoa)
- Talvez você não se lembre de mim. Eu fui seu subordinado na Empresa “X”. Olha, te encontrei aqui, e quero dizer foi você uma pessoa importantíssima na minha vida. Você foi um líder muito especial naquele momento porque você...

O que gostaria de ouvir sobre sua atuação como líder?

Nestes últimos 10 anos tenho notado um padrão relevante em líderes notáveis. Os lucros deixam de ser o vetor único e estes passam a focar num propósito mais nobre. Líderes começam a promover crescimento através da firme convicção de que são as pessoas que fazem a empresa crescer.

Líderes notáveis ajudam a articular novos valores, que formam uma nova visão, que extrapola o “status quo”, promovendo na empresa e pessoas o pleno sentido de evolução.

Os profissionais levam de nós, Líderes, o que somos para eles, e não o que transmitimos para eles.

VOLTAR SUBIR INDIQUE A UM AMIGO IMPRIMIR HOME